• abril 13, 2024

Conhecimentos Bancários: saiba o que estudar

Conhecimentos Bancários, Tudo sobre Conhecimentos Bancários, Estudar Conhecimentos Bancários

Conhecimentos Bancários, Tudo sobre Conhecimentos Bancários, Estudar Conhecimentos Bancários. Foto: montagem / Canva / Pexels

Para quem deseja trabalhar em um banco, o conhecimento bancário pode parecer assustador, especialmente para quem não tem experiência na área. O mercado financeiro é vasto e complexo, exigindo compreensão detalhada. Este guia busca ajudar profissionais a estudar e compreender melhor o conhecimento bancário para se preparar adequadamente para essa carreira desafiadora.

O que são Conhecimentos bancários?

Os conhecimentos bancários referem-se a informações, conceitos, legislações e boas práticas relacionadas ao funcionamento do setor bancário. Isso inclui compreensão sobre produtos e serviços bancários, gestão de risco, finanças, economia e mercado de capitais, entre outros. É uma área de conhecimento abrangente e essencial, pois os bancos são uma parte constante na vida profissional e pessoal de todos. Compreender os conhecimentos bancários ajuda as pessoas a tomar decisões financeiras mais acertadas como clientes e a serem mais conscientes em suas atividades profissionais. Além disso, esses conhecimentos são frequentemente abordados em exames de certificações financeiras.

Quais as questões de conhecimentos bancários?

As questões de conhecimentos bancários incluem a compreensão da estrutura do Sistema Financeiro Nacional (SFN), que engloba o desenvolvimento, fiscalização de atividades de crédito e circulação de moeda. O SFN conta com agentes normativos, supervisores e operadores, como a Bolsa de Valores, a Comissão de Valores Mobiliários, o Conselho Monetário Nacional e o Banco Central, além de bancos públicos, privados, corretoras e outras instituições do setor financeiro. O conhecimento sobre esses temas é crucial, sendo frequentemente abordado em provas de certificação financeira.

Produtos bancários:

Incluem cartões de crédito, empréstimos, investimentos, poupanças e contas corrente, sendo amplamente utilizados no dia a dia. Eles desempenham um papel crucial na economia brasileira, não apenas como ferramentas para clientes, mas também como impulsionadores do desenvolvimento econômico. Estudar esses produtos é essencial não apenas para ajudar os clientes, mas também para contribuir para o progresso funcional da economia brasileira como um todo.

Noções do Mercado de Capitais e de câmbio

Mercado de Capitais: É o ambiente onde valores mobiliários como ações e títulos de dívida são negociados. Empresas emitem esses títulos para captar recursos, que são posteriormente aplicados em projetos de expansão, fluxo de caixa, entre outros. Para os investidores, adquirir esses títulos é uma maneira de fazer seu patrimônio render, pois a empresa emissora devolve o valor inicial acrescido de juros correspondentes ao período.

Mercado de Câmbio: Neste ambiente, ocorrem transações de compra e venda de moedas estrangeiras. Pessoas físicas e empresas, especialmente importadoras e exportadoras, podem converter Reais para outras moedas. O mercado de câmbio também influencia a precificação de produtos e serviços que chegam aos consumidores finais. Ambos os mercados são complexos e exercem forte influência na economia brasileira, sendo temas frequentes em exames certificadores.

Garantias do Sistema Financeiro Nacional

As garantias do Sistema Financeiro Nacional, como fiança, penhor, caução e hipoteca, envolvem o uso de patrimônio para negociar dívidas. Elas são aplicadas para evitar o risco financeiro, ajudando a reduzir a possibilidade de inadimplência e protegendo os credores da transação. Cada tipo de garantia varia de acordo com o contrato e a operação em questão, mas todas têm o propósito comum de minimizar o risco de não pagamento.

Crime de lavagem de dinheiro

O crime de lavagem de dinheiro envolve tornar uma quantia de origem ilícita parecer legítima por meio de operações financeiras complexas, ocultando a natureza do dinheiro. Compreender as leis relacionadas a esse crime é crucial para garantir a integridade e segurança no setor bancário, tanto para os profissionais quanto para os clientes. Esse tema é frequentemente abordado em provas de certificações, sendo essencial focar nesse aspecto ao estudar a legislação bancária.

Prevenção e combate ao crime de lavagem de dinheiro

A prevenção e combate ao crime de lavagem de dinheiro são tópicos cruciais frequentemente abordados em exames certificadores. A legislação relacionada a esse tema deve ser estudada com cuidado, pois muitos candidatos subestimam sua importância, concentrando-se apenas nos aspectos técnicos da prova. É essencial analisar essas leis de forma minuciosa para garantir sucesso nos exames e compreender as medidas necessárias para evitar e combater a lavagem de dinheiro.

Autorregulação Bancária

A autorregulação bancária consiste em um conjunto de normas e boas práticas criadas pelas próprias instituições financeiras. Estas normas visam garantir melhores serviços aos clientes, comunicação eficaz e possibilitar a melhoria contínua no setor. É essencial para os profissionais do mercado financeiro compreenderem essas normas, pois são parte das leis e regulamentações que regem suas funções. A autorregulação bancária é frequentemente abordada em exames certificadores para verificar a aptidão dos candidatos para exercerem determinadas funções no setor.

Abertura e movimentação de contas

A abertura e movimentação de contas são atividades essenciais no mercado financeiro, envolvendo procedimentos regulamentados, trato com informações do cliente e avaliação de riscos financeiros. É crucial para os profissionais da área dominarem esses conceitos, apesar de serem familiarizados com esses procedimentos como clientes, para conduzir essas atividades de forma eficaz e legalmente adequada.

Pessoa física e pessoa jurídica

Na área financeira, a distinção entre pessoa física e pessoa jurídica ganha importância especial. As legislações e processos são aplicados de maneiras diferentes para cada tipo de pessoa, assim como investimentos e linhas de crédito são oferecidos de forma distinta. É essencial ter um entendimento afiado sobre essas distinções para ter sucesso na carreira bancária.

Cheque

Apesar dos avanços tecnológicos, o cheque ainda é relevante no mercado financeiro, especialmente em situações como empreendimentos com cheque-caução e pagamentos pré-datados. Empresas que aceitam pagamentos futuros ainda utilizam o cheque pré-datado devido ao seu custo operacional menor em comparação às maquininhas tradicionais. É fundamental compreender seu funcionamento, pois ele ainda desempenha um papel significativo em transações comerciais específicas.

Sistema de Pagamentos Brasileiro

O Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB) é uma estrutura que engloba instituições, entidades e operações financeiras, permitindo transações como pagamentos, operações com moeda estrangeira, transferências de fundos e compra e venda de valores mobiliários. Sob a supervisão do Banco Central, o SPB também é responsável pelo desenvolvimento de métodos de pagamento como DOC, TED e PIX, marcando uma evolução significativa nos sistemas de pagamento do Brasil. Sua influência e importância na economia do país são indiscutíveis.

Noções de política

Compreender a política brasileira é essencial para entender o curso dos acontecimentos econômicos, já que as decisões políticas podem influenciar a economia, especialmente em áreas como oferta, demanda, taxa de juros, investimentos e inflação. Embora nem tudo na política afete diretamente a economia, é importante estar atualizado sobre as relações entre esses dois campos. Manter-se informado por meio de fontes confiáveis é crucial, pois a dinâmica entre política e economia é moldada pelas oscilações e notícias do momento presente.

Mercado Financeiro

O mercado financeiro é o ambiente onde ocorrem operações relacionadas a ativos, câmbio, mercadorias e outras transações financeiras. Engloba diversos temas, como câmbio, mercado de capitais, Sistema Brasileiro de Pagamentos, Sistema Financeiro Nacional e produtos bancários. Devido à sua vastidão, o mercado financeiro é complexo e é frequentemente abordado em provas de certificações financeiras, desdobrando-se em diversas temáticas.

Mercado primário e secundário

No mercado primário, empresas vendem ações na Bolsa, captando recursos para suas atividades diretamente dos investidores. No mercado secundário, investidores negociam essas ações entre si, sem que o dinheiro movimentado vá para a empresa. Nesse ambiente, os preços dos ativos sofrem oscilações maiores devido às influências micro e macroeconômicas, tornando-se uma parte fundamental do mercado financeiro. As movimentações diárias e intensas nesses mercados impactam o curso do mercado de capitais.

O que estudar além dos conhecimentos bancários?

Além dos conhecimentos bancários, para se destacar na área financeira, é fundamental adquirir habilidades complementares. Isso inclui conhecimentos em economia, finanças, gestão de riscos, mercado de capitais e produtos de investimento. Além disso, habilidades em comunicação, liderança, resolução de problemas e pensamento analítico são essenciais para enfrentar os desafios do setor bancário de forma eficaz e se destacar como profissional.

Conhecimentos gerais

Além dos aspectos técnicos, conhecimentos gerais são essenciais nos exames certificadores e na carreira bancária. Isso inclui habilidades em Português, Inglês, Matemática financeira, Raciocínio Lógico e Matemático, Informática e atualidades gerais ou do mercado financeiro. Cada um desses tópicos é importante para moldar um profissional competente no setor bancário.

Conhecimentos específicos

Além dos temas gerais, o conhecimento bancário abrange áreas específicas essenciais para exames certificadores e para a carreira diária. Isso inclui a compreensão da legislação específica de cada componente do mercado financeiro, bem como habilidades em atendimento, técnicas de vendas e ética, todos fundamentais para o sucesso profissional no setor bancário.

Qual é a importância dos bancos na economia?

Os bancos desempenham um papel crucial na economia, indo além das simples transferências e pagamentos. Eles facilitam transações financeiras para clientes finais, agindo como intermediários entre credores e tomadores de empréstimo. Além disso, fomentam as atividades da indústria e do comércio, estimulam a movimentação da moeda, especialmente em cenários econômicos aquecidos. Existem diferentes tipos de bancos, cada um com funções específicas:

  1. Bancos Comerciais: Captam recursos por meio de depósitos e empréstimos, facilitando transações financeiras e concedendo crédito para impulsionar a economia.
  2. Bancos de Câmbio: Realizam operações de câmbio com moedas estrangeiras, incluindo exportação, importação e adiantamento de contratos. Também administram contas sem remuneração.
  3. Bancos de Desenvolvimento: Concentram-se em financiar projetos de desenvolvimento social a médio e longo prazos, captando recursos por meio de depósitos a prazo. Financiam grandes obras em diversos setores da economia.
  4. Bancos de Investimento: Especializados em investimentos, oferecem diversas modalidades de investimento como CDBs, Letras de Crédito e Câmbio, ações, entre outros. Auxiliam empresas a se desenvolverem e ajudam investidores a aumentarem seu patrimônio.
  5. Bancos Múltiplos: Englobam funções de bancos comerciais, de investimento e de câmbio. Oferecem uma ampla gama de produtos e serviços em uma única instituição, facilitando a vida dos clientes e contribuindo para a circulação da moeda e concessão de crédito.

Essas instituições desempenham papéis vitais para a saúde econômica, estimulando o crescimento e fornecendo suporte financeiro essencial para indivíduos, empresas e projetos de grande escala.

Quais são as atualidades do mercado financeiro?

O mercado financeiro está passando por rápidas transformações, especialmente na era digital. As instituições bancárias estão buscando profissionais versáteis que compreendam não apenas conceitos técnicos, mas também inovação e tecnologia. Algumas das tendências e termos-chave atuais incluem:

  1. Remote Banking: Acesso aos serviços bancários por meio de dispositivos móveis ou computadores, muitas vezes sem agências físicas, caracterizando a era digital das instituições financeiras.
  2. Home Banking: Refere-se às transações rotineiras realizadas digitalmente, como pagamento de boletos, faturas e transferências, acessíveis aos clientes por meio de dispositivos eletrônicos.
  3. Internet Banking: Plataformas online desenvolvidas para acessar serviços bancários, disponíveis em versões para desktop ou dispositivos móveis.
  4. Mobile Banking: Versão específica do internet banking projetada exclusivamente para dispositivos móveis, sendo essencial que os aplicativos sejam funcionais e intuitivos para atender à crescente base de usuários móveis.
  5. Open Banking: Uma revolução no mercado financeiro, permite que diferentes instituições compartilhem informações de clientes, com autorização, oferecendo aos consumidores a liberdade de escolher serviços e produtos de várias fontes, sem ficarem restritos a um único banco.

Qual é a função social dos bancos?

Apesar de buscarem lucro, os bancos desempenham funções sociais importantes. Eles fomentam atividades comerciais, simplificam processos de pagamento, oferecem crédito para impulsionar a economia e desenvolver diversos setores no país. Bancos públicos, em especial, expandem seu alcance criando instituições regionais e estaduais, garantindo acesso a serviços mesmo em regiões remotas. Além disso, alguns bancos, como a Caixa Econômica Federal, priorizam auxílios sociais, oferecendo empréstimos e financiamentos para programas e projetos sociais com condições acessíveis.

Estrutura do Sistema Financeiro Nacional

O Sistema Financeiro Nacional possui uma estrutura organizada, composta por:

  1. Agentes Normativos: Responsáveis por estabelecer regras gerais e normativas para manter o sistema financeiro seguro e eficiente. Exemplos incluem o Conselho Monetário Nacional (CMN), Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP) e Conselho Nacional de Previdência Complementar (CNPC).
  2. Agentes Supervisores: Garantem o cumprimento das diretrizes estabelecidas pelos agentes normativos. Incluem o Banco Central, Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Superintendência de Recursos Privados (Susep) e Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc).
  3. Agentes Operadores: Instituições que lidam diretamente com o público e atuam como intermediárias em transações financeiras, como bancos, Bolsa de Valores, caixas econômicas, cooperativas e corretoras.

Três leis emblemáticas do Sistema Financeiro Nacional desempenham papéis cruciais:

  1. Lei n° 4.380 – 21/08/64: Estabelece orientações legais para financiamento de imóveis e cria o Sistema Financeiro da Habitação, simplificando o acesso à moradia e fomentando o mercado imobiliário no Brasil.
  2. Lei n° 4.595 – 31/12/64: Conhecida como Lei da Reforma Bancária, regula o Sistema Financeiro Nacional e cria órgãos fundamentais como o Conselho Monetário Nacional (CMN), o Banco Central e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES), organização crucial para o sistema financeiro do país.
  3. Lei n° 4.728 – 14/07/65: Disciplina o mercado de capitais, sendo fiscalizada pelo Banco Central e regulada pelo Conselho Monetário Nacional. Introduz a alienação fiduciária em garantia de bens imóveis e estabelece práticas para proteger investidores e facilitar o acesso às informações sobre títulos e valores mobiliários.

Como se preparar para as provas do mercado financeiro?

Preparar-se para as provas do mercado financeiro envolve compreender a interseção entre o mercado financeiro e o conhecimento bancário, conforme detalhado anteriormente. Além disso, é essencial focar nos pontos-chave das provas de concursos públicos ou exames certificadores. Compreender a dinâmica desses testes é tão crucial quanto estudar o conteúdo programático, garantindo uma preparação eficaz.

Preparar-se para provas do mercado financeiro envolve algumas etapas essenciais:

  1. Leitura do Edital: Familiarize-se com o edital para entender o conteúdo, formato e dinâmica da prova, evitando surpresas no dia do exame.
  2. Plano de Estudos: Estabeleça um plano de estudos focado e bem distribuído ao longo de pelo menos 15 dias, dedicando tempo a cada tópico e garantindo compreensão antes de avançar para o próximo.
  3. Realização de Simulados: Faça simulados para praticar a gestão do tempo, melhorar estratégias de resolução, monitorar seu condicionamento físico e controlar o nervosismo, aumentando a familiaridade com o exame real.
  4. Conheça a Banca: Entenda os métodos de avaliação da banca organizadora, pois diferentes bancas adotam abordagens distintas, como questões de múltipla escolha, “certo e errado”, enunciados longos, gráficos, entre outros. Não negligencie esses detalhes para evitar surpresas durante a prova.

Livros recomendados que podem te ajudar:

  1. Sou péssimo em  Matemática

  2. Sou péssimo em Inglês

  3. Sou péssimo em Português 
➥ Assine nosso Portal de Simulados para Professores: ( Link )

Leia o anterior

Apostilas Concurso Prefeitura de Nazário – GO; 47 vagas

Leia a seguir

Informática para concursos públicos – O que estudar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais populares