• julho 20, 2024

O que é Estatística e qual a sua influência em nossa vida diária?

A Estatística é uma ciência que está presente em praticamente tudo o que envolve a nossa vida diária (ainda que pareça não estar). Contempla desde censos populacionais, previsão do tempo, índices de audiência da tv, rádio, internet, projeções da economia, eleições, transações comerciais/bancárias, empresas, indicadores de saúde, indústrias e muito mais.

Algumas pessoas têm dificuldades com a matéria e é por isso que os professores insistem em orientar que Estatística requer sempre a compreensão da teoria básica e a fixação dessa teoria, a partir da realização de muitos exercícios.
O problema, para muitos, é que Estatística envolve justamente a realização de cálculos matemáticos. Ou seja, de alguma forma, estudar Estatística é, de fato, estudar Matemática.
Para as provas deste concurso, esta matéria também costuma ser cobrada. Veja a seguir alguns conceitos e definições que podem ajudar a compreender melhor o tema.

Representação gráfica (barras, segmentos, setores, histogramas)

A representação gráfica é muito importante, pois pode vir a facilitar ou dificultar a interpretação dos dados obtidos. Têm-se diversos tipos de gráficos, dentre os quais:
Gráfico de Barras: também é chamado de gráfico de colunas, e pode ser usado para representar dados de uma tabela de frequência associada a uma variável qualitativa. Desta forma, cada barra retangular representa a frequência ou a frequência relativa da variável em questão. Por exemplo: “Taxas de nascimento dos continentes”.
Gráfico de segmentos: é conhecido também como gráfico de linhas, e é utilizado em maioria das vezes para mostrar o crescimento, decréscimo ou estabilidade de uma amostra. Por exemplo: “as vendas em setembro aumentaram 3 vezes mais do que em julho”.
Gráfico de setores: é o famoso “gráfico de pizza”, esse tipo de gráfico é usado para apresentar partes de um todo e medidas de porcentagem. Por exemplo: “73% dos entrevistados gostam de café, 10% não gostam e 17% preferem chás”.
Histogramas: este tipo de gráfico é composto por retângulos justapostos onde a base é apoiada em um eixo horizontal. Um histograma possui muita relevância em sistemas estáveis, pois desta forma previsões de desempenho poderão ser realizadas. Desta forma, é muito utilizado por empresas.

Medidas de tendência central (média, mediana e moda)

Média: a média é definida como o valor que mostram para onde os valores se concentram, é obtida através da soma dos valores de todos os dados dividida pela soma do número de dados. Existem outras formas de calcular a média, a qual varia conforme o objetivo, as quais: média geométrica, harmônica e ponderada.
Moda: a moda é o valor que surge com mais frequência nos dados, é uma medida útil para redução de um conjunto de dados qualitativos, que pode ser apresentados em nomes ou categorias, onde não é possível calcular a média ou a mediana.
Mediana: é uma medida que pode ser chamada de medida de localização, separando a metade superior da metade inferior do conjunto de dados. Entretanto, este valor pode ser encontrado de forma variada, dependendo se o número de dados é par ou ímpar.
No cálculo da mediana, deve-se seguir as seguintes regras:
– mediana é o valor que ocupa a posição central, no caso de quantidades ímpares de dados;
– mediana é média dos dois valores centrais, se a quantidade de dados for par.

Treino é fundamental em Estatística

É claro que, como dissemos antes, não basta compreender concepções básicas, tais como as que apresentamos acima.
Para cada uma dessas noções, há uma fórmula matemática por trás, capaz de expressá-las, em números precisos ou aproximados, conforme o caso.
Para estudar tais temas com aproveitamento, o candidato terá que entender essas fórmulas, a partir do treino, ou seja, resolvendo questões.
Um livro no qual o candidato pode encontrar a introdução básica sobre o assunto é “Estatística para Leigos” (Deborah Rumsey, 2009).

Leia o anterior

Resumo do Regime Jurídico dos Servidores Federais (Lei 8.112/90)

Leia a seguir

Legislação aplicável ao setor de saneamento básico brasileiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais populares