• julho 17, 2024

Noções de sanidade animal e fitossanidade

Em termos gerais, a sanidade animal diz respeito à saúde das espécies animais destinadas ao consumo humano, euquanto que a fitossanidade diz respeito à saúde das espécies vegetais.
Tais temas já são tratados internacionalmente há um tempo, no entanto, no Brasil as discussões começaram a serem intensificadas nos últimos anos.
O país sentiu a necessidade de tratar o assunto principalmente pela pressão da União Europeia, que exigiu a aprovação prévia de fazendas para exportação de carne após algumas exportações conterem focos de aftosa. E também por ter níveis mais elevados de aplicação de agrotóxicos em comparação a alguns países que consomem sua produção.
Apesar de dialogar entre si, os dois temas possuem suas peculiaridades, desta forma, optou-se pela separação dos temas, apresentadas a seguir.

Sanidade animal

A sanidade animal refere-se a saúde do animal e seus subprodutos que serão encaminhados à alimentação humana, nesse sentido, dois aspectos fundamentais sustentam o assunto: a higiene e a sanidade.
Higiene e sanidade são dois conceitos intimamente ligados e relacionam-se com as demais áreas da produção animal.
Por higiene, entende-se o conjunto das condições fornecidas aos animais, as quais podem melhorar o bem-estar dos mesmos e inferir diretamente na qualidade e segurança dos produtos animais.
Já a sanidade diz respeito conjunto de condições que conduzem ao bem-estar, à saúde, à salubridade, entre outros fatores que favorecem a qualidade de vida do animal.
Os conjuntos de condições de higiene e sanidade são essenciais na produção, pois previnem doenças. Quando uma produção ignora os aspectos supracitados podem haver muitos prejuízos, pois:

  • A produtividade pode diminuir consideravelmente;
  • Podem ocorrer doenças que comprometam uma parte ou todos os animais;
  • Aumenta-se o risco de transmissão de doenças aos seres humanos;
  • Tem-se uma produção que não assegura a qualidade e segurança alimentar, ocasionando um risco para a saúde pública;
  • As vendas e exportações podem diminuir por não atender critérios específicos sobre o tema.

Dito isso, a sanidade animal atua principalmente na prevenção, sendo essencial o papel de cada uma das pessoas que trabalham na área. Além disso, a legislação sobre o tema é bastante direta quanto às medidas a serem tomadas.

Fitossanidade

Como já mencionado anteriormente, a fitossanidade diz respeito à saúde das espécies vegetais, sobretudo, as que são destinadas ao consumo humano.
O uso de agrotóxicos e as práticas de agroecologia, apesar de dois polos distintos, são práticas que possuem como objetivo melhorar a qualidade e a produtividade das espécies vegetais.
No entanto, no caso do uso de agrotóxicos, é necessário cautela e racionalidade no seu uso, uma vez que o acumulo de substancias no solo, na água e na produção podem trazer riscos à saúde humana e a qualidade do ambiente.

Composição da fitossanidade

De maneira sintetizada, compõem a fitossanidade os seguintes aspectos básicos:

  • Fitopatologia: trata-se da ciência que estuda as patologias das plantas, englobando todas as fases entre o diagnóstico e controle. Basicamente, a fitopatologia, estuda profundamente as relações entre hospedeiro (plantas) e patógenos (doenças), considerando que um influencia o outro diretamente e de forma dinâmica;
  • Entomologia agrícola: trata-se da ciência que estuda de forma aprofundada as pragas e os insetos, visando identifica-los, maneja-los e controla-los. Os danos causados por pragas são variáveis, a depender do tamanho populacional da praga, do estágio de desenvolvimento e da estrutura vegetal atacada. A importância dos estudos de entomologia está sobretudo na determinação de estratégias adequadas para controle dos danos;
  • Controle de Plantas Daninhas: as plantas daninhas (também chamadas de competidoras) são espécies que se desenvolvem em condições semelhantes à cultura plantada e, que possuem crescimento e disseminação progressivas. Essas plantas tendem a competir nutrientes, o que gera diminuição da produção. Dessa forma, o controle de plantas daninhas é importante para que a qualidade e a quantidade da produção não sejam comprometidas.

Além das áreas já citadas nos tópicos, a fitossanidade tem sido amplamente beneficiada com o avanço da tecnologia no setor agrícola e, também com o resgate de práticas agrícolas antigas (como as adotadas nas produções orgânicas, por exemplo).
Contudo, é de suma relevância mencionar a importância da saúde animal e da fitossanidade para a segurança alimentar. A título de exemplo, a Pandemia Covid-19 está diretamente relacionada à sanidade animal, uma vez que a teoria mais aceita é de que o vírus tenha sido transmitido a humanos a partir do consumo de carne de espécies exóticas.

Leia o anterior

Resumo da Lei Orgânica de Pelotas – RS

Leia a seguir

Quantificadores (many, much, few, little, a lotof)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais populares